História do Jiu-Jitsu

Os primeiros indícios do jiu-jitsu surgiram na Índia, antes mesmo do nascimento de Jesus Cristo. Naquela época os monges indianos eram proibidos (de acordo com a sua religião) de utilizar armas, porém, durante as suas longas caminhadas, eram constantemente atacados por bandidos das tribos mongóis do norte da Ásia.

Já que não podiam defender-se com armas, os monges criaram um método de defesa corporal. Como eles conheciam muito bem os pontos vitais do corpo, desenvolveram um tipo de defesa baseada nesses pontos. Sua técnica baseava-se no sistema de articulação do corpo e nos princípios do equilíbrio.

Depois da Índia, o Japão foi o primeiro país a ter praticantes de jiu-jitsu. Isso se deu em função da expansão do budismo, fazendo com que muitos monges migrassem para o Japão. E foi lá, no Japão, que o jiu-jitsu passou a ser conhecido como “arte suave” e tornou-se popular, sendo praticado não mais apenas pelos monges, mas até mesmo por nobres.

Muitas pessoas também se especializaram nessa arte marcial e tornaram-se mestres. No final do século XIX, alguns mestres do jiu-jitsu partiram do Japão para outros lugares e passaram a viver do ensino da arte marcial e das lutas que realizavam.

E foi assim que o jiu-jitsu chegou ao Brasil. Esai Moeda Koma, mais conhecido como Conde Koma, foi um desses mestres que deixou o Japão para trás e seguiu em busca de divulgar a arte nos quatro cantos do mundo.

Depois de viajar e lutar em vários países da Europa e da América, Koma chegou ao Brasil em 1915, em Belém do Pará. No ano seguinte ele conheceu Gastão Gracie que era pai de oito filhos, cinco homens e três mulheres. Logo os dois ficaram muito amigos e Conde Koma passou a ensinar o jiu-jitsu para o filho mais velho de Gastão – Carlos Gracie.

 
Carlos era um menino franzino e o jiu-jitsu mudou radicalmente a sua vida. Aos 19 anos ele mudou-se para o Rio de Janeiro juntamente com sua família e tornou-se lutador profissional e professor de jiu-jitsu. Durante alguns anos, Carlos viajou para São Paulo e Belo Horizonte ministrando cursos e disputando lutas.

Em 1925 ele voltou ao Rio de Janeiro e abriu a primeira Academia Gracie de Jiu-Jitsu. Ao lado de seus irmãos Oswaldo e Gastão, Carlos assumiu a criação dos menores, George e Hélio, que na época estavam com 14 e 12 anos, respectivamente.

Desde então, Carlos passou a transmitir todos os ensinamentos do jiu-jitsu para os seus irmãos. E as aulas não ficavam apenas na arte marcial. Carlos fazia questão de transmitir sua filosofia de vida, que incluía uma
alimentação bastante saudável para os padrões da época. Carlos chegou até mesmo a criar a “Dieta Gracie”, cujo princípio básico era reduzir o excesso de acidez na alimentação. Juntos eles aprimoraram e desenvolveram novas técnicas do jiu-jitsu que tornavam a luta possível para o tipo físico de qualquer pessoa - até mesmo para os “franzinos” Gracie.


Ao enfrentar e derrotar adversários 20 e até mesmo 30 quilos mais pesados, os Gracie ficaram famosos em todo o Brasil. A luta praticada pelos Gracie era diferente. Os japoneses praticavam e davam ênfase às quedas, enquanto que o jiu-jitsu dos Gracie buscava a luta no chão e os golpes de finalização.

Assim, nasceu o “jiu-jitsu dos Gracie” que mais tarde tornou-se o “
jiu-jitsu brasileiro”, luta e arte marcial reverenciada em todo o mundo. Dizem os praticantes que o jiu-jitsu brasileiro é o melhor do mundo, pois a luta inclui muita ginga e jogo de quadril, coisa que poucos povos, além dos brasileiros, possuem.

E foi o jiu-jitsu brasileiro, por sua vez, que deu origem ao
MMA – Mixed Martial Arts. Para provar a eficiência do jiu-jitsu, Hélio Gracie lutou contra oponentes muito mais fortes e pesados do que ele e em lutas sem regra alguma (o chamado “vale-tudo”). As lutas terminavam quase sempre no chão, com a vitória de Hélio, sem que o lutador tenha aplicado qualquer golpe traumático, como um chute ou pontapé, as lutas eram finalizadas (o adversário desiste).

Hélio foi muito feliz em sua estratégia de divulgação do jiu-jitsu. Rapidamente todos os lutadores de Vale-Tudo passaram a treinar o jiu-jitsu e se aperfeiçoaram na luta de chão. Atualmente não vale tudo no Vale-Tudo e o esporte é conhecido mundialmente como MMA – Mixed Martial Arts, onde quase sempre vence aquele que domina, e muito bem, as técnicas do jiu-jitsu da família Gracie.

Contato

Union Team Twitter: @EquipeUnionTeam equipeunionteam@yahoo.com.br